segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Saudades em dia

Deixei tudo na areia e fui andar à beira-mar. Pano a proteger os ombros, chapéu na cabeça, pés frescos na água. Não levei companhia, a conversa era íntíma, não requeria mais que dois nesta espécie de monólogo com mar ao fundo.
 
Caminhei durante mais de uma hora, tempo suficiente para quase dar a volta à vida. E dei. Falei-lhe dos meninos e meninas da escola, que agora estão de férias, lá no bairro, a brincar nas ruas, uns com os outros, risos altos e corpo ágil, cheio de vida. Jurei que quase lhes ouvia as falas e os acertos das brincadeiras, entre partilhas e disputas.
 
Falei-lhe dos meus rapazes, grandes e lindos, que já fazem férias com outros, amigos e novas famílias, que deixaram de ser pequenos, a cheirar a bebé e viraram homens de barba e corpo grande. Sussurrei-lhe algumas das minhas saudades, segredos calados de mãe, imagens presentes da casa com roupa espalhada e programas agitados de noites de verão. E cheiro a creme depois da praia.
 
http://www.edivalperrini.com.br/wp-content/uploads/2012/09/foto-ondas.gifContei-lhe depois de algumas amigas, pequenas ousadias e descobertas, novidades e confirmações, que a amizade é longa e duradoura, pelo menos algumas. E falei-lhe do meu mano, amor maior de infância, alegria e cumplicidade, proteção e amparo. O meu mano de olhos risonhos e abraços grandes. O meu mano pequeno, o meu mano grande. E contei-lhe do meu companheiro, pedi-lhe que o refrescasse com abundância, lhe desse o descanso justo e merecido depois de um ano tao longo e cheio de um trabalho honesto e extenuante. E que nos desse a ventura de muitas viagens pelo mundo e um tempo longo para o amor. Ainda amor. Ainda longo.

Depois calei-me, queria ouvi-lo e saber do seu inverno e primavera, das suas dores e maleitas. E ele disse que tudo estava quase igual, as conchas de muitas cores, o brilho forte da areia, o barulho leve das ondas, os peixes pequenos, a frescura e a leveza da sua cor de azul e mar. Tudo igual, tudo renovado.
 
Assim confirmei. E assim ficaram as saudades postas em dia, condição essencial para começar as férias. Aqui estamos.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Muito bonito! Que os desejos se confirmem e que as saudades voltem todas os anos e possam ser sanadas também todos os anos.

    ResponderEliminar